Capa > Podcast > Despachados > Despachados 005 – Bagagem sem alça

Despachados 005 – Bagagem sem alça

Despachados 005 – Bagagem sem alça

O Podcast Despachados traz para você de forma leve um assunto pesado. Esse episódio está especialmente útil. Conheça algumas regras, dicas e histórias envolvendo tudo que diz respeito a bagagem, acessórios e afins. Descubra as novidades tecnológicas que prometem te ajudar a não cair em roubada e divirta-se com os causas vividos pela nossa tripulação (e alguns de amigos da tripulação).

Missão Despachados: Fazer com que você tenha mais informação para que possa viajar cada vez mais, cada vez melhor e tirando o máximo proveito do seu rico dinheirinho. Nós acreditamos que com informação, espírito desbravador e força de vontade é possível para praticamente qualquer um, viajar para qualquer lugar do mundo.

Episódio de hoje

Gaía Passarelli

Gaía Passarelli

Apresentação – Foca
#teamdespachados – Monique Renne Paulinho Siqueira
Convidada especial – Gaía Passarelli

Participação especial – Jr. Caimi do Blog Tip Trip

Jr Caimi

Jr Caimi

Links – Bagagem sem alça

Blog da Gaía – How to travel light
Regras de Bagagem em vôos nacionais e internacionais
Novas regras em discussão pela ANAC
Artigo sobre medicamentos em viagens internacionais
A escolha de Sofia – A história do Junior e sua viagem para China
Artigo da Gaía sobre smart lugagge
Comprando vinhos no Chile (leia a sessão “como levar”)
Matéria passageiro brasileiro preso com fivela de soco inglês
Matéria brasileiros trouxas que fizeram brincadeira com bomba na imigração
Instagram da TSA com objetos apreendidos
Instagram de bagagens extraviadas/esquecidas/abandonadas
Reality show A batalha das malas

Sentiu falta de algum link? Deixe uma mensagem abaixo ou mande email para contato@despachados.com.br

Ficha Técnica

Criação: Foca
Edição: Sr. A e Foca
Artes: Sr. Foca e Artes Pingo no I
Locução Feminina: Ira Morato

Imagem da capa:
Creative Commons 0 – Domínio Público (Use a vontade)
Via Pixabay (thanks)

Site despachados.com.br:
Layout: Foca e Thiago Miro
Desenvolvimento: Thiago Miro

Trilha Sonora:

Korn

Dropkick Murphys – I’m Shipping Up To Boston
Korn – Falling Away from Me
Korn – A D I D A S
Korn – Oildale Leave Me Alone
Korn – Right Now
Korn – Make Me Bad
Korn – Let s Get This Party Started
Korn – Freak On a Leash
Korn – Evolution
Korn – Here to Stay
Korn – Trash
Korn – Freak On a Leash
Korn – Get Up ft Skrillex
Deep Purple – Perfect Strangers

Realização: Despachados
Copyright: Copyright © 2016 Mind7 Digital

  • Excelente relato, histórias e dicas sobre mala…. parabéns!

  • OLucasConrado

    Algumas considerações sobre bagagens de alguém que está do outro lado do check in.

    Por que (palavrões) as pessoas inventam de viajar com tanta coisa? O que eu atendo de gente despachando 40, 50kg todos os dias não tá no gibi. To com meu ombro ferrado porque a gente não pode despachar mala enquanto a pessoa não paga excesso. Então pra não travar a fila, tiramos a mala da esteira. E a pessoa fica indignada. Filha, são 10 dias que você vai passar em João Pessoa. Não precisa levar 40kg.

    Aí o passageiro pergunta por que tão caro? Se fosse barato, todo o mundo despacharia 70kg. O avião não conseguiria decolar com tanta carga.

    Em dias quentes, o ar fica menos denso. Logo, pro avião decolar, ou ele precisa de mais pista ou estar mais leve. Imagina verão carioca e o Santos Dumont com aquela pistinha de 1300m. Vira e mexe, precisa realocar gente e mala pro avião decolar.

    Sobre a mala de mão, são 5kg. Quando a pessoa está de mochila, não sendo muito grande, a gente não costuma pesar mesmo. Mas mala de mão, pelo menos na firma que trabalho, a gente costuma pesar. E o pessoal da Laranjinha foi muito sacana ou desinformado mandando despachar a mochila com equipamento fotografico. Eu era repórter antes de trabalhar no aeroporto. Quando íamos filmar em São Paulo voando pela Laranja, levávamos a mochila com equipamentos, despachando a de roupas. Sem problemas.

    E essa restrição de mala pesada na bagagem de mão, é questão de segurança. Numa turbulência severa, os bagageiros abrem. Imagina que legal uma mala de 15kg caindo na cabeça de um? Ou como a Mariana falou num Galleycast, uma mala dessas caindo num comissário passando por ali.

    Sobre as novas regras de bagagens, atualmente são 5kg pra bagagem de mão e 23kg pra despachada sem custo extra (não importa quantos volumes, podem ser 23 volumes de 1kg. Só não pode passar de 23kg). A ANAC quer aumentar a franquia de mão pra 11kg, mas o passageiro deve pagar por qualquer peso despachado.

    Eles alegam que quem não despacha mala paga por quem despacha e com a nova regra, a passagem vai baratear. Acho isso uma besteira. O que encarece passagem não é bagagem despachada. É o preço do combustível, taxas aeroportuárias e a pesada carga de impostos. Mas nisso, ANAC e governo não querem mexer.

    • OLucasConrado

      Ah e sobre cargo, bagagens frágeis, instrumentos musicais etc…. É comum despacharem eletrônicos e instrumentos musicais ou equipamentos esportivos, especialmente bicicleta e prancha de surf Quando não é muito grande ou pesado, a gente despacha como bagagem frágil. Elas não descem na esteira. Nosso carregador leva de elevador pro local onde ficam as malas e carrega pro avião. Apesar de ter um cuidado especial, a empresa não se responsabiliza por danos.

      Pra despachar como carga, tem que ligar e contratar o serviço antes. É mais caro, mas a empresa cobre os danos que a bagagem pode sofrer. No Galeão, a carga tem que ser entregue lá no TECA, longe pra carqmba do check in. Cada aeroporto tem seu setor de cargas num lugar específico.

      Uma coisa muito comum no aeroporto é passageiro querendo despachar TV com mais de 32 polegadas. A empresa que trabalho só despacha como frágil TV com até 32′ e tem que tá na caixa certa. Pra maiores, só pelo setor de cargas.

      Sobre instrumentos, funciona como os equipamentos esportivos, vão como frágil. Violão e guitarra em capa maleável pode ir como bagagem de mão. Violoncelo num tamanho específico (que não lembro agora qual é) pode ser levado na cabine, ocupando um assento. Mas pra isso, o passageiro paga uma taxa específica.

      É assim que funciona naquela empresa vermelha meio brasileira meio colombiana. Não sei as especificidades da Laranja e das empresas da cor do céu.