Capa > Podcast > Despachados > Despachados 015 – Câmbio, Cartões e Travell Money

Despachados 015 – Câmbio, Cartões e Travell Money

Despachados 015 – Câmbio, Cartões e Travell Money

Sejam mais uma vez muito bem vindos a bordo de nossa jornada épica rumo ao desconhecido e no episódio de hoje descubra quais as melhores formas de pagamento, dependendo do seu perfil de viajante e do quanto você quer economizar. Não dê mole e entenda por que é tão fácil perder dinheiro quando falamos de câmbio. Saiba que o cartão de crédito tanto pode ser um grande aliado quanto seu pior inimigo. Se você quer saber tudo sobre Câmbio, Cartões e Travell Money, confira nossas dicas super despachadas que, com certeza irão, fazer da sua próxima viagem a viagem dos seus sonhos.

ATENÇÃO: Confirme todas as informações nos sites oficiais das agências e governos!

Episódio de hoje – Câmbio, Cartões e Travell Money

Apresentação – Foca
#teamdespachados – Leonardo Cassol – Paulinho Siqueira

Estreando no nosso programa Anna Karla – O que eu aprendi viajando

Links – Episódio 15

Saiba como se tornar um patrono/padrinho dos Despachados, acessar nossa sala VIP e garantir uma série de outros benefícios. Basta clicar na imagem abaixo, escolher a classe de sua preferência e aproveitar todos os benefícios. Mais informações no próprio episódio.

padrim

 Que moeda levar – Site que compara as principais moedas na converção pelo dinheiro local.
Aplicativo Melhor Câmbio – Versão AndroidVersão Iphone
Aplicativo XE Currency – Versão AndroidVersão Iphone

Ficha Técnica

Criação: Foca
Edição: Sr. A e Adonias
Artes: Foca e Artes Pingo no I
Locução: Ira Morato, Cristiano e Inês

Imagem da capa

Creative Commons 0 – Domínio Público (Use a vontade)
Via Pexels (thanks)

Site despachados.com.br

Layout: Foca e Thiago Miro
Desenvolvimento: Thiago Miro

Trilha Sonora do Programa

  • OLucasConrado

    Rapaz, vou ser bem sincero.

    Quanto mais analógico for o negócio, mais eu confio. Em bom português, não troco o dinheiro vivo por nada nesse mundo. Até que não tive problemas nas poucas vezes que usei o débito no Chile, mas quando viajei pelo Peru, não consegui comprar usando o débito. Já money travel, eu não confio mesmo!

    Casal de amigos meus foi passar uns dias na Argentina e tiveram a brilhante ideia de colocar (quase) todo dinheiro no travel money. O que aconteceu em Buenos Aires? O cartão não funcionou em quase nenhuma loja. Só no McDonald’s. E lá foi lenhada no cartão de crédito!

    ALIÁS, não precisei nem sair do Brasil pra me ferrar por não ter dinheiro vivo. Em fevereiro do ano passado, fui pro interior de Alagoas, estado que não tem horário de verão. Saí de casa com pressa e não consegui sacar o dinheiro no caminho pro aeroporto. Pousando em Maceió, fui sacar o dinheiro pra sobreviver por lá e não consegui. Os JÊNIOS do banco desenvolveram um app pra celular que, quando você sai do seu fuso horário (não se esqueçam que no Nordeste NÃO tem horário de verão), ele perde a sincronia e você não consegue usar o token do celular. Parabéns, Brad… digo, banco! Aplaudindo de pé aqui. Tive que pedir pro meu pai transferir um dinheiro pra minha poupança (cujo saque não dependia de token do celular) e repuz o dinheiro a ele quando voltei ao Rio.

    Nada pra mim substitui o bom e velho dinheiro. Não corro o risco de não funcionar. Não corro o risco de banco bloquear. Não corro o risco de ficar sem grana por apps idiotas. E sobre roubar, eu colocava o dinheiro no lugar mais seguro e protegido durante a viagem. Não, não é dentro da cueca ou meia ou algo assim. Mas era num lugar da bagagem que, se o batedor de carteira conseguisse alcançar sem eu perceber, ele mereceria levar o dinheiro pelo esforço.

    Ah, e sobre onde/quando eu trocava a grana, eu costumava trocar aqui no Brasil o suficiente pra ir do aeroporto pro hostel e do hostel pra casa de câmbio no país que eu ia visitar. E lá na casa de câmbio estrangeira que eu trocava a grana. Em Santiago do Chile, recomendo a Calle Augustina, no centrão da cidade. Em Lima, recomendo os caras na rua, ali em Miraflores. Sim, você vai conseguir um preço melhor trocando dinheiro na rua do que em casas de câmbio em Lima. São agentes credenciados pelo governo local que são identificados com coletes coloridos. Você troca os reais com uma boa taxa.

    Abração a todos e todas e foca na viagem!

    PS: adorei gravar o começo do programa. E adorei a edição.

    Lucas Conrado (aliás, podem me chamar só de Lucas. Ao contrário do que parece, Conrado é sobrenome hehehe)
    28 anos
    Agente de despacho
    Rio de Janeiro