Capa > Podcast > Despachados > Despachados 014 – Vistos, vacinas e documentos

Despachados 014 – Vistos, vacinas e documentos

Despachados 014 – Vistos, vacinas e documentos

Os Despachados voltam à prancheta e lançam mais um episódio sobre planejamento de viagem. Vamos falar sobre itens importantes para o seu checklist: vistos, vacinas e documentos. Saiba quais os vistos mais difíceis de se tirar, conheça os serviços de saúde pública que funcionam no Brasil e o porquê de não deixar para tirar seus documentos em cima da hora. Quem for para regiões com risco de contaminação pela febre amarela, por exemplo, deve estar atento ao prazo de imunização contra a doença.

ATENÇÃO: Confirme todas as informações nos sites oficiais das agências e governos!

Episódio de hoje – Documentos de viagem

Apresentação – Foca
#teamdespachados – Nini Ferrari – Gaby Kamache – Samir Reis – Vinny Campos

Convidado Especial: Tati Batista – Nossa somelier de viagens – confira em Viajanderia

Resultado de imagem para viajanderia

 

Links – Episódio 14

Saiba como se tornar um patrono/padrinho dos Despachados, acessar nossa sala VIP e garantir uma série de outros benefícios. Basta clicar na imagem abaixo, escolher a classe de sua preferência e aproveitar todos os benefícios. Mais informações no próprio episódio.

padrim

Link Passaporte:
Documentos para viagem menor (Nacional)
Documentos para viagem menor (Internacional)
http://www.cnj.jus.br/noticias/cnj/82803-viagem-ao-exterior-com-criancas-evite-transtornos-de-ultima-hora

Relação países e necessidade de visto para brasileiros
Visto de Trânsito
Novas regras para visitar o Canadá
Imigração americana em solo brasileiro
Validade do passaporte
Ambulatório do viajante
Prazo validade da vacina Febre Amarela
Vacina Febre Amarela

Ficha Técnica

Criação: Foca
Edição: Sr. A e Adonias
Artes: Foca e Artes Pingo no I
Locução: Ira Morato, Cristiano e Inês

Imagem da capa

Creative Commons 0 – Domínio Público (Use a vontade)
Via Pexels (thanks)

Site despachados.com.br

Layout: Foca e Thiago Miro
Desenvolvimento: Thiago Miro

Trilha Sonora do Programa

Resultado de imagem para muse

A Playlist do episódio 13 está aqui.

  • OLucasConrado

    Vamos lá, algumas correções e considerações sobre o episódio.

    Primeiramente, da última vez que estive no Chile, só marquei hostel em Santiago, pra ter um endereço pra apresentar na entrada no país. Nas outras cidades que visitei (Puerto Varas, Valdívia e Pucón), eu descobria onde iria ficar quando chegava lá. Mas não ligo muito pra onde vou ficar. Tendo uma cama e wi-fi, pra mim tá de boas. A mesma coisa aconteceu quando fui ao Peru. Só tinha hospedagem marcada em Lima. Em Nazca, Cuzco e Aguascalientes, arrumei onde ficar no dia que cheguei. Foi uma boa estratégia. A gente tinha planejado ir pra Arequipa e Puno, mas não fomos por problemas que tivemos em Nazca. Se já tivéssemos marcado hospedagem em Arequipa e Puno, teríamos prejuízo.

    Mas vamos ao motivo que me levou escrever esse comentário.

    Sobre o que comentaram de checar validade de documento no check-in. EM VOOS NACIONAIS, você pode SIM viajar com carteira de motorista ou passaporte vencido. A carteira de motorista venceu, mas você não deixou de ser você. Pra vocês terem ideia, eu NUNCA checo validade de CNH ou do passaporte quando o voo é nacional.

    Já o RNE (Registro Nacional de Estrangeiros) tem que estar dentro da validade. O estrangeiro que vive no Brasil pode ter o RNE já passado da validade em duas situações: 1) É deficiente físico. 2) Tem mais de 65 anos. Tirando isso, o documento deve estar com a validade em dia.

    Sobre o menor desacompanhado, ou acompanhado de alguém que não seja responsável, temos as seguintes situações.

    Se ele viaja com avós, tios ou irmãos maiores de 18 anos, NÃO É PRECISO AUTORIZAÇÃO DOS PAIS. Basta documentos originais (ou copias autenticadas) que comprovem o parentesco. Geralmente, a certidão de nascimento (que tem o nome dos avós) já basta.

    Se ele viaja com alguém que não seja os avós, tios ou irmãos maiores de 18 anos, é preciso sim uma autorização por escrito de pelo menos um dos responsáveis. Algumas fontes dizem que essa autorização deve ser autenticada em cartório. Outras não. A firma que trabalho EXIGE autenticação, apesar de alguns juizados de menores dizerem que basta a autorização por escrito. Pelo sim, pelo não, deem uma passada no cartório e autentiquem a autorização, pra evitar problemas no check in.

    Ah, e lembrando. Se o menor de idade tem 12 anos ou mais, ele já viaja como se fosse adulto. Pode voar sozinho para todo o Brasil, sem autorização judicial nem nada.

    A empresa que trabalho oferece serviço de acompanhamento pra esses “maiores-menores” como se fossem “menores-menores”. Viaja com a bolsinha no pescoço, fica o tempo todo do lado do agente, ficam num assento visível pra comissária o tempo todo… mas eles detestam isso. E os pais também não costumam pedir, porque têm que pagar uma taxa de 100 reais.

    E pelo amor de Deus. Vai mandar as crianças pra voarem sozinhas, CHEGUE CEDO NO CHECK IN. COM DUAS, TRÊS HORAS DE ANTECEDÊNCIA, MESMO EM VOOS NACIONAIS! Sério, é uma burocracia muito chata, você tem que preencher formulário, tirar xerox de documento, pagar taxa de serviço e de quebra ainda excesso de bagagem (passageiro é muito sem noção, quer voar e levar a casa junto). Aí o cara me chega querendo mandar o filho faltando 3 minutos pro check in fechar. CHEGA CEDO!

    Sobre os documentos para se viajar pela América do Sul.

    Não, não é aceito CNH, carteira de ordem profissional ou de classe ou carteira de trabalho em viagens internacionais. Só valem a carteira de identidade ou o passaporte nessas situações. Sobre os 10 anos de emissão, é meio confuso. Quando eu era repórter, a primeira reportagem que escrevi foi justamente sobre isso. Liguei pros consulados do Uruguai, Argentina, Chile, Paraguai, Peru, Equador, Colombia e Venezuela para investigar isso. Alguns disseram que o documento tem, sim que ter menos de 10 anos de emissão. Outros disseram que, se o país de origem não determina validade pro documento, outro país não tem esse direito. Mas todos foram unânimes em ACONSELHAR que o documento tenha menos de 10 anos. E todos disseram que se a foto estiver muito diferente de como a pessoa é, a entrada será barrada.

    Sobre voos domésticos, é aquela. Sim, o documento tem que estar em bom estado de conservação. De preferência, a foto da identidade não pode ser muito antiga. Mas é complicado… a gente atende muita gente bem humilde, do interior da Paraíba, Pernambuco, Bahia, ou mesmo de estados do Centro-Sul. Pessoas que juntam dinheiro o ano inteiro pra fazer a viagem e que não estão acostumados com a rotina de aeroporto. Muitas dessas pessoas têm identidade dos anos 70. Aí reina o bom senso. Não vou deixar o idoso que veio de lá do interior da Paraíba no chão porque a identidade dele é de 1977. Num mundo ideal, ele estaria com o documento atualizado, mas o mundo é tudo, menos ideal.

    A gente tem alguns treinamentos pra identificar as pessoas, mesmo que apresentem documentos antigos. O formato do rosto, posição dos olhos, nariz, boca, orelhas etc não mudam. Aí eles acabam embarcando, mesmo tendo um documento antigo.

    Sobre perguntar onde vai ficar ainda no check-in para os Estados Unidos, é “culpa” do Amadeus CM, o sistema que a gente usa pra fazer check-in.

    Quando o passageiro vai pros Estados Unidos, ele só deixa emitir o cartão de embarque depois de preencher vários dados do viajante, inclusive o endereço onde ele vai ficar.

    E, sim, Canadá e Emirados Árabes exigem visto de trânsito. O do Canadá eu não lembro direito a regra, mas dos Emirados, ele só é exigido se o passageiro vai ficar mais de 24 horas no país. Atendo muitos assim no trajeto Galeão – Guarulhos – Abu Dhabi – Manila. Como a firma tem parceria com a Etihad, o cara já sai do GIG com os cartões de embarque até as Filipinas. E é mais comum do que vocês podem imaginar.

    Curiosidade, sabe como a gente sabe qual documento/visto/vacina o passageiro precisa pra entrar num país? A IATA (Associação Internacional de Transporte Aéreo) tem uma ferramenta chamada TIMATIC, na qual a gente coloca a nacionalidade do passageiro, aeroporto de partida, conexões e destino e ele diz todos os documentos e vacinas necessárias. É muito legal!

    Abração a todos!

    Lucas Conrado
    28 anos
    Agente de check-in
    Rio de Janeiro

    • Thiago Guimarães Tavares

      Nossa quanta informação bacana! Parabéns por socializar…

    • Foi tanta informação que precisamos bater um papo e gravar. Aguardem o próximo episódio que explicaremos tudo em detalhes.

  • Thiago Guimarães Tavares

    Obrigado pelo alô para a galera do Tocantins. Ficou muito bacana esse episódio.

    Apenas complementando sobre os aplicativos Feedly e Pocket

    O Feedly – https://feedly.com/apps.html
    é um leitor de RSS. Você cadastra nesse aplicativo sites/blogs que possuam notícias/artigos do seu interesse e quando novas notícias forem postadas elas irão aparecer no aplicativo.

    O Pocket – https://getpocket.com/
    faz o download de notícias e artigos no seu smartphone/tablet/pc de forma que tu pode ler quando quiser/puder offline. Basicamente é isso. É só compartilhar a notícia para o pocket que ele faz o resto.

    O que faço é a acompanhar novas noticias de blogs e sites que gosto no Feedly e quando tem algo do meu interesse compartilho no pocket para ler depois.

    Um grande abraço!

    • Valeu Thiago. Vamos ler no próximo parlatório para explicar para nossos ouvintes. Abraço